2786

No encerramento das comemorações do quingentésimo aniversário do concelho do Nordeste, Carlos Mendonça quis, em primeiro lugar, agradecer a todos os nordestenses, que confiando no projeto camarário para as Comemorações dos 500 anos de Elevação do Nordeste a Concelho, contribuíram, direta ou indiretamente, com o seu trabalho espontâneo, voluntário e desinteressado, para que o mesmo se concretizasse com o brilho e a dignidade almejada.

No balanço destas comemorações de 500 anos de vida do concelho, Carlos Mendonça ressalvou a valentia do povo nordestense, dizendo ser uma comunidade que se afirmou perante os desafios do passado e que se mostra, agora, pronta para os desafios do presente, de conciliar a preservação da identidade com a abertura a novas oportunidades de desenvolvimento, aproveitando as novas acessibilidades ao concelho.

“O Nordeste já não é a décima ilha, pois graças ao grande investimento do Governo Regional dos Açores construiu-se uma via que nos permite chegar a Ponta Delgada mais rápido e em mais segurança”, referiu o autarca, querendo sublinhar o grande marco na história do Nordeste que foi o encurtamento das distâncias deste concelho ao resto da ilha com a abertura da via Scut.

Os 500 anos do concelho do Nordeste coincidiram com uma mudança de rumo no município, tendo, neste sentido, Carlos Mendonça destacado as maiores ações do seu primeiro ano de mandato, começando por dizer que o novo executivo “abriu as portas, como nunca antes aos Nordestenses, foram mais de 800 atendimentos a nordestenses”. “Foi possível colocar 127 nordestenses no mercado de trabalho, através dos programas de emprego do Governo Regional, apoiando desta forma as nossas famílias mais fragilizadas socialmente e injetando mais dinheiro na economia local”.

No ano que agora termina, o presidente da Câmara do Nordeste pretendeu, também, dar voz a todos os nordestenses que queiram participar na vida do concelho, tendo a câmara criado, para o efeito, o Conselho Municipal de Juventude do Nordeste; promovido reuniões com os grupos de juventude partidária com assento na Assembleia Municipal; reuniões com a oposição, com instituições e com a população em geral para apresentação da proposta de Plano e Orçamento para 2015, e ainda a apresentação à população de projetos de maior envergadura financeira, como foi o caso da capela funerária para a freguesia da Salga.

A descentralização das reuniões da Assembleia Municipal, que passaram a realizar-se nas várias freguesias do concelho, com o propósito de permitir a participação das populações, foi outra ação enumerada pelo autarca no âmbito da politica de envolvimento dos nordestenses que pretendeu levar a efeito no seu primeiro ano de mandato.