Centro Social e Recreativo da Achada

Obras do centro social e recreativo da Achada já avançaram
 
A Câmara Municipal do Nordeste visitou as obras de alteração e ampliação da antiga escola primária da Achada para adaptação a centro de apoio social, recreativo e cultural.

A câmara municipal é a promotora da intervenção na antiga escola primária, sendo o projeto de arquitetura também da autarquia e a execução da obra da responsabilidade da empresa Simosil.

As obras de ampliação e remodelação visam melhorar as condições do edifício e afetá-las a novas funções de modo a enquadrar as necessidades atuais do concelho, com o objetivo específico de disponibilizar à população local um equipamento social destinado a apoiar crianças com necessidades educativas especiais, tendo como parceiro a Escola Básica e Secundária de Nordeste, através do projeto-parceria ProSucesso.

Na prossecução deste objetivo, a câmara municipal está a proceder à reabilitação integral do edifício, que se encontra em mau estado de conservação, sobretudo no interior, de modo a criar diferentes oficinas de aprendizagem para os alunos com necessidades especiais, assim como uma sala destinada a Banco de Ajudas Técnicas (programa social do município), a instalação de duas salas para aulas e atividades destinadas a crianças com necessidades especiais, a criação de uma sala de informática (espaço TIC, o melhoramento das instalações sanitárias, a instalação de uma cozinha com copa e zona de refeições, para ensino de culinária aos alunos, e um alpendre entre o passeio e o interior do edifício visando as especificidades dos utentes com mobilidade condicionada, de modo a que possam também aceder à oficina de agricultura que será criada no exterior.

O presidente da Câmara Municipal do Nordeste, Carlos Mendonça, assim como o presidente da Junta de Freguesia da Achada, Paulo Franco, e a vice-presidente da Escola Básica e Secundária do Nordeste, Virgínia Pinheiro, acompanharam a visita às obras em execução no edifício, tendo o presidente da câmara salientado a importância da infraestrutura por albergar várias valências que vão ao encontro dos interesses da população, nomeadamente daqueles que possam ter necessidades especiais de aprendizagem “facilitando o processo de ensino, trabalhando na inclusão social e ao mesmo tempo evitando a segregação dos nossos alunos com necessidades educacionais especiais”.

Para o autarca, “este projeto vem também dar uma nova vida à freguesia da Achada, revitalizando uma escola que já tinha sido encerrada ainda no mandato anterior”.

Carlos Mendonça referiu-se ainda “aos nossos amigos emigrantes que muito apoiaram e aceitaram este projeto para as nossas crianças com deficiência”.