Comemoração de 508 anos de elevação do Nordeste a concelho
Comemoração de 508 anos de elevação do Nordeste a concelho
Publicado em 19 Julho, 2022

Comemoração de 508 anos de elevação do Nordeste a concelho

 

O Nordeste comemorou ontem, 18 de julho, 508 anos de elevação a concelho, com a presença significativa das forças vivas locais e das duas maiores figuras que representam a Região Autónoma dos Açores, designadamente, o presidente da Assembleia Legislativa Regional e o presidente do Governo Regional, e tendo como orador convidado o ex-ministro e atual comentador político Paulo Portas.  

Como anfitrião da cerimónia de aniversário, o presidente da Câmara do Nordeste, António Miguel Soares, referiu-se ao privilégio de comemorar 508 anos de elevação do Nordeste a concelho, “certamente motivo de orgulho, de reconhecimento pela nossa história e, acima de tudo, um acrescento de responsabilidade, disponibilidade e dedicação diária em prol da nossa terra e compromisso para com as nossas gentes”.

 

Preocupação com o tecido empresarial e com os programas ocupacionais

Referindo-se ao compromisso com a qualidade de vida dos residentes do concelho, António Miguel Soares apontou algumas preocupações mais recentes, referindo-se à conjuntura mundial, que, após sair de tempos difíceis e de muita incerteza provocados por uma pandemia, com especial repercussão no concelho do Nordeste, sobretudo no tecido empresarial ligado à construção civil, volta a afetar as empresas. Contudo, adiantou, “os empresários, que contaram com a câmara municipal para vencer a crise gerada pela pandemia, podem também contar com o município para juntos vencermos mais esta batalha”.  

 

Aproveitando a presença na cerimónia do presidente do Governo Regional dos Açores, o autarca sublinhou que o Nordeste deve ser olhado pelos governantes de forma diferenciada, através de uma discriminação positiva que vá ao encontro das reais necessidades das suas populações. “O Nordeste é um concelho com um tecido empresarial frágil, necessitado de políticas concretas e direcionadas à verdadeira realidade das suas empresas e dos seus empresários”, acrescentando “que precisamos de mão de obra qualificada que satisfaça as necessidades das nossas empresas, como de formação profissional que vá ao encontro das verdadeiras carências do nosso tecido empresarial, e que as escolas profissionais ministrem cursos técnicos ligados às áreas da construção civil e pecuária, pois o tecido empresarial e as instituições do Nordeste não conseguem absorver toda a mão de obra existente, sendo uma das razões a falta de formação técnica para as necessidades existentes”.

 Referindo-se à taxa de desemprego preocupante, António Miguel Soares disse ser necessário um regime de exceção para o Nordeste, através de uma alteração da legislação regional relativamente aos programas ocupacionais, possibilitando aos trabalhadores que se encontram em situação de desemprego o acesso ao trabalho, ultrapassando as dificuldades por que atravessam e melhorando as condições de vida das suas famílias, pedindo ao presidente do Governo Regional e à sua equipa que encontre soluções para reverter a atual legislação regional no que se refere ao acesso aos programas ocupacionais em concelhos com as especificidades do concelho do Nordeste.

 

Presidente do Governo sensível às especificidades do concelho

Sobre este apelo deixado pelo presidente da câmara municipal, o presidente do Governo Regional referiu que as reformas que estão as ser implementadas pelo atual executivo regional pretendem ser disruptivas, de impulso do empreendedorismo, do trabalho e de geração de riqueza, mas que certamente será sensível à transição que está a ser levada a cabo e às necessidades concretas do concelho.

Nesta linha de pensamento, o presidente do executivo regional apontou alguns setores de desenvolvimento que o Nordeste deve reforçar, referindo-se ao património natural como atrativo turístico.

 

Na cerimónia de aniversário, o autarca referiu, também, a atividade do município, apontando obras importantes que se encontram em execução, como é a requalificação do Centro Urbano da Achada, o novo parque de Lazer da Lomba da Fazenda e a nova Biblioteca Municipal do Nordeste.

Para breve, apontou, estão previstas outras obras, como sejam, a requalificação do mercado municipal e da zona evolvente à ponte dos Sete Arcos, a beneficiação do salão de São Pedro Nordestinho, a construção do polidesportivo de Santo António Nordestinho, a requalificação do centro Urbano de Santana e do caminho das Relvas na Achadinha,  apontando, também, o decorrer do processo de aquisição dos terrenos para o aumento do Parque Industrial do Nordeste.

 

Distinção honorífica a José Maria Rocha e António Raposo

Como é habitual na comemoração do aniversário do concelho, o município agracia cidadãos que no seu percurso de vida dedicaram uma parte desse mesmo percurso ao concelho, tendo sido homenageados no 508 aniversário os nordestenses José Maria da Rocha e António Raposo, como exemplos e inspiração para muitos nordestenses.

 

Orador convidado

Como orador convidado, o antigo ministro e atual comentador político, Paulo Portas, sublinhou na sua intervenção a antiguidade do concelho do Nordeste como uma herança que não se perde pese embora a perda de população que foi tendo nas últimas décadas por força da emigração e de outros fatores comuns a municípios mais periféricos e pequenos.  

Sublinhou outro valor do concelho do Nordeste, referindo-se ao potencial que tem ao nível do turismo sustentável, constituindo um atrativo para a instalação de empresas, para investimento e desenvolvimento da economia, sem os quais os territórios não podem desenvolver-se, frisou, mas sem que este desenvolvimento descaracterize o potencial da oferta natural.

Nesta linha de pensamento, salientou a conservação da natureza e do património ambiental como fontes de desenvolvimento no futuro, tanto no Nordeste como na Região.

Referindo-se ainda ao setor do turismo, sublinhou o grande passo que os Açores estão a dar ao aproximar-se das zonas do país com a maior taxa turística.