Casa João de Melo com mostra de arte sacra
Casa João de Melo com mostra de arte sacra
Publicado em 21 Novembro, 2022

Casa João de Melo com mostra de arte sacra da Paróquia de NS do Rosário

 


A Casa João de Melo recebe mais uma exposição, desta vez, uma mostra de arte sacra da Paróquia de Nossa Senhora do Rosário, da freguesia da Achadinha.

A exposição foi inaugurada pelo vice-presidente da Câmara do Nordeste, Marco Mourão, a 14 de novembro, e ficará patente ao público até finais de janeiro do próximo ano.

A mostra em exibição enquadra-se na temática “FIDEI NOSTRAE, a nossa fé“, que fecha o calendário expositivo do município em ambas as salas da autarquia, concretamente, na Vila do Nordeste e na Casa João de Melo, tendo a primeira sido inaugurada no dia 14 de outubro, com uma mostra de arte sacra de diversas freguesias do concelho.

A igreja paroquial de Nossa Senhora do Rosário tem uma coleção de arte sacra muito rica e diversificada, com variadas esculturas e outras alfaias litúrgicas de grande valor artístico e cultural, que vão desde o século XVI até à atualidade, o que motivou a autarquia a individualizar a Achadinha no contexto municipal.

Com base nas peças expostas, foi possível aprofundar o estudo da história da freguesia, que remonta aos tempos do povoamento da ilha de São Miguel, e perceber o papel que a Igreja, a religião e a fé tiveram na evolução desta comunidade que cresceu quase isolada, numa pequena terra aplanada sobranceira ao mar. Desde a fundação do povoado, passando pelos lugares de culto, e abordando a história da padroeira e dos santos protetores que se encontram na igreja, até aos rituais litúrgicos, às paramentarias usadas e às características únicas encontradas na Achadinha, este trabalho proporciona uma reflexão sobre a importância da fé em diferentes manifestações culturais e artísticas da freguesia. Percorrendo a sua história, dá-se a conhecer algumas das vicissitudes que a população enfrentou ao longo de aproximadamente cinco séculos de existência, munida de um espírito de tenacidade admirável e fortalecida por uma inabalável devoção religiosa que ainda hoje se observa.

A exposição dá destaque a um conjunto notável de esculturas religiosas que se encontravam guardadas na igreja, como é o caso de Santo Antão (século XVI), Nossa Senhora do Rosário (século XVII) e São Bento (século XVIII), que nos ajudam a compreender não só a história da Achadinha como a evolução dos rituais litúrgicos e das diferentes formas de celebração promovidas pela Igreja Católica.