DJI_0109

A Filarmónica Imaculada Conceição, da freguesia da Lomba da Fazenda, comemorou o seu 125º aniversário no dia 8 de dezembro, dia da padroeira da freguesia, através da celebração de uma Missa de Ação de Graças e de uma sessão evocativa, na Casa de Povo da freguesia, que teve como orador oficial o ex-presidente da Câmara Municipal do Nordeste, natural da Lomba da Fazenda, José Carlos Carreiro.

António Miguel Soares, como presidente do município do Nordeste, presidiu a cerimónia dos 125 anos da Filarmónica Imaculada Conceição, por se tratar de uma das instituições mais importantes do concelho do Nordeste e por representar o melhor da cultura e da tradição da freguesia da Lomba da Fazenda e do concelho do Nordeste.

António Miguel Soares disse que “cumprir 125 anos de existência é um marco que não está ao alcance de todos e é fruto do trabalho, persistência, dedicação e arte de várias gerações de fazendenses, uns como músicos, outros como diretores e maestros e, principalmente, é o coroar de um sonho lançado há mais de um século atrás pelos seus fundadores e pelo seu mentor, o padre Amaral”.

Ao longo destes anos, a filarmónica evoluiu em todos os sentidos. Os instrumentos modernizaram-se, a sede cresceu e foi reabilitada, os métodos de ensino foram-se alterando e a própria função da banda na sociedade foi sofrendo ligeiras alterações, notando-se sem dificuldade enormes diferenças na sua qualidade musical, tanto a nível do seu repertório como no brilhantismo da sua execução e sonoridade.

Esta notória e manifesta evolução deve-se ao labor dos seus diretores e formadores, ao transformar uma sociedade musical como esta numa verdadeira escola de sons e talentos, os quais são alimentados todos os anos pelos jovens da freguesia.

O autarca referiu-se ainda à filarmónica como uma instituição que, sem fins lucrativos e que congrega e forma tantos jovens e adultos, não pode deixar de merecer a atenção das entidades públicas que têm a tutela cultural e social. Referiu o apoio que a Junta de Freguesia da Lomba da Fazenda tem dado e continua a dar à Filarmónica Imaculada Conceição, quer através de subsídios, quer através da cedência da viatura para fazer o transporte para ensaios e atuações, e ainda o apoio logístico prestado na realização de workshops de formação, sem deixar de sublinhar que merece o apoio e a colaboração do município.

A câmara municipal aumentou este ano o subsídio anual atribuído, de oito mil euros para dez mil euros, “canalizando desta forma os fundos públicos para onde estes realmente fazem falta e são bem aplicados e geridos e emendando um corte desnecessário e injusto realizado no passado recente”, disse o autarca. “Sei do que falo porque também eu pertenci durante alguns anos aos órgãos sociais desta instituição e sei o que custa manter de pé e funcional uma banda de música nos dias de hoje”, acrescentou.

António Miguel Soares deixou, por último, um reconhecimento às famílias dos músicos e dos diretores da filarmónica, porque também elas são responsáveis pelo seu sucesso e as principais sacrificadas por toda a dedicação e atenção dada à banda pelos seus membros.

Foram convidados da sessão comemorativa o presidente da filarmónica, Vitor Lima, e da mesa da assembleia, João Oliveira Carreiro, o presidente da Junta de Freguesia da Lomba da Fazenda, Rafael Moniz Vieira, o pároco Leonardo Cabral e os músicos, diretores, maestro, sócios e simpatizantes da Filarmónica Imaculada Conceição.